Páginas

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Comemorar o ano litúrgico em família



Comemorar o ano litúrgico em casa é uma prática de piedade muito bonita, pois nos ajuda a penetrar nos mistérios de Cristo e viver melhor a liturgia durante o ano. O início do Advento ainda está um pouco longe, mas eu gosto de programar tudo com antecedência. Estamos em uma época muito boa para quem não celebra o ano litúrgico em casa (mas gostaria de celebrar). Faltam alguns meses e há tempo de sobra para aprender alguns costumes e se programar também. 

Quem já celebra o ano litúrgico tem a programação desse ano e poderá usá-la para o próximo. Quem ainda não celebra, pode começar com costumes simples e com o passar dos anos, pode ir fazendo mais coisas. Para celebrar bem o ano litúrgico é necessário conhecer o significado de cada tempo para vivê-lo com uma espiritualidade autêntica. Recomendo vivamente a leitura do Diretório sobre piedade popular e liturgia, que está disponível em inglês e espanhol no site da Santa Sé. Em português há uma edição impressa da Paulinas.

A programação pode ser feita por tempo litúrgico. Para o Advento, por exemplo, nós fazemos alguns costumes da piedade popular e comemoramos as datas importantes. Além, é claro, de todas as orações diárias. Toda noite pode ser lida uma breve biografia do santo do dia também. Para o santo do dia, há um livro chamado Os Santos e os beatos da Igreja do Ocidente e do Oriente, mas que eu não tenho (ainda).


Como comemorar cada data importante? De acordo com cada família. Mas, de um modo geral, é importante que todos saibam valorizar cada domingo como o Dia do Senhor, que esse seja o dia mais importante da semana. Durante a semana, as datas podem ser comemoradas com uma refeição diferente, com leituras específicas da comemoração etc. Por exemplo, dia 12 de dezembro é dia de Nossa Senhora de Guadalupe. Neste dia podemos fazer algum prato mexicano, ler a história de Nossa Senhora de Guadalupe, as crianças podem colorir Nossa Senhora de Guadalupe e outras atividades.

Essas ideias podem ser levadas para a catequese também, enisnando sempre que elas são vindas da liturgia da Igreja, e que apesar de serem muito importantes, não substituem, em hipótese alguma, a nossa Santa Missa. Assim, as crianças terão um conhecimento mais profundo do significado da nossa riquíssima liturgia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário